fbpx

Desenvolvimento Infantil: Fatores importantes

Se educadores, pais e responsáveis, conseguirem compreender o desenvolvimento infantil, poderão também acompanhar melhor as crianças, e, conhecer os estímulos certos para cada necessidade durante a infância.

E, apesar do desenvolvimento infantil parecer um assunto que só profissionais compreendem, pais, responsáveis e educadores, também poderão entender melhor como funciona esse processo que ocorre de maneiras diferentes para cada criança.




Vamos aprender nesse artigo como funciona o desenvolvimento das crianças, para que você saiba como lidar melhor com esse processo.

O desenvolvimento infantil e suas etapas

A primeira infância, é o estágio que compreende os primeiros 5 anos de vida da criança, sendo importante e determinante por toda vida dela, ou seja, ações que ocorram nessa época terão efeitos duradouros e irão interferir no seu aprendizado.

Sendo que, todos os atos durante essa etapa da vida, terão alguma resposta, anos mais tarde, daí a importância de compreender essas fases.

Além disso, outra questão a saber, é que o desenvolvimento infantil não é o mesmo para todas as crianças, não havendo uma única regra a ser seguida para a educação infantil, justamente em função dessas diferenças.

E, apesar disso, a comparação entre as crianças sempre ocorre, ainda que não sejam iguais nas fases de desenvolvimento, mas, caso você tenha dúvidas sobre seu filho, é sempre recomendado, procurar especialistas ou pediatras.

Cada fase da vida da criança tem seus fatores, estímulos, e experiências, que irão depender de cada pessoa, para que sejam mais, ou, menos aflorados, vejamos então como funciona o desenvolvimento infantil:

Desenvolvimento físico

É a etapa que engloba tanto o crescimento físico da criança quanto seus movimentos e ações, como o chute praticado por elas, que envolve os sistemas nervosos e os músculos.

Sendo assim, ambos são desenvolvidos de maneira gradativa desde o útero materno, como veremos:

  • Recém-nascidos: Os músculos e sistema nervosos se fortalecem com movimentos bruscos e aleatórios, como chutes involuntários e movimentos agitados com os braços;
  • De 6 e 12 meses: Nessa etapa, a criança já consegue sentar-se sozinha e ensaia levantar-se sem ajuda, testando o próprio equilíbrio. E, em torno dos 8 meses, já começa a engatinhar, e dos 9 meses, andar segurando-se nos móveis;
  • Entre 1 e 2 anos: Aqui, a criança já costuma andar, mas seu controle total sobre marcha, corrida e pulos será somente dos 16 meses em diante;
  • De 2 e 3 anos: Haverá maior equilíbrio, já saltando e pulando com maior segurança, e, coordenação motora fina, segurando melhor objetos como um giz de cera ou talheres;
  • Entre 3 e 4 anos: Haverá independência com a alimentação e as roupas, controle das necessidades fisiológicas;
  • Entre 4 e 5 anos: Desenvolvimento muscular e grande atividade motora, já tendo a criança bastante energia, precisando ser estimulada fisicamente, e, também já tem ainda mais controle sobre seus movimentos.
  • Desenvolvimento infantil cognitivo

Ele é a capacidade que a criança terá de receber informações e transportá-las para outras menores. Isso pra que ela consiga compreender, responder, e integrar-se com o ambiente ao seu redor.

Ela também, conseguirá responder os estímulos, e terá capacidade motora, para entender em que direção deverá voltar sua atenção, com uma atenção maior voltada para sua mãe.

E, essa cognição também ajudará a criança a compreensão da matéria escolar, obediência as regras escolares e convivência com os colegas de classe, sendo assim, a cognição abrange:

  • Pensamentos abstratos;
  • Memórias;
  • Resoluções de problemas;
  • Atenção.

Sendo assim, a cognição é fator preponderante para que a criança possa compreender melhor o mundo ao seu redor, como podemos observar.

Desenvolvimento infantil Linguístico

Ele se apresenta antes mesmo da criança pronunciar a primeira palavra, já no recebimento de estímulos. Isso porque, desde o útero, a criança já consegue ouvir sons pronunciados pela mãe.

E, além disso, a criança pode, logo nas primeiras semanas, aprender os significados das palavras gritadas ou sussurradas, havendo reações diferentes para sons diferentes, pois, ela estará tentando entender.

Em pouco tempo, os choros serão substituídos por palavras, termos, e, em seguida, pequenas frases.  Perto dos 3 anos, conversas já serão desenvolvidas por ela, havendo que se continuar a estimulação.

Desenvolvimento socioafetivo

Ele é responsável por envolver a maneira como seu filho se relaciona com as pessoas ao redor. Além disso,  liga com as próprias emoções, que no início da vida são expressadas com choros.

E, ao longo dos anos, a linguagem se dará a partir de ações, assim como, ocorre com a cognição, enfatizando a importância das primeiras experiências na vida da criança.

Os marcos saltos e picos no desenvolvimento infantil

São três conceitos básicos e importantes no contexto do desenvolvimento infantil, como veremos:

Marcos do desenvolvimento

Esses marcos se tratam das referências que são usadas, para que possamos acompanhar o desenvolvimento infantil das crianças. Lembrando sempre, que esse desenvolvimento não é padrão, tendo cada uma, o seu desenvolvimento.

Sendo assim, busque entender os marcos que sua criança já alcançou, e incentive-a a correr atrás dos próximos marcos.

Saltos de desenvolvimento infantil

Esses saltos referem-se aos momentos que ocorrem após seu bebê atingir determinado marco do desenvolvimento, representando a aplicação das habilidades cognitivas, linguísticas, sociais e físicas.

Ou seja, quando a criança atinge certo marco do desenvolvimento, irá acelerar a aquisição das outras habilidades, conseguindo explorar cada vez mais sua autonomia.

E, apesar disso, com tantas novas interações, a criança pode atingir certo nível de sensibilidade mais apurado. Isso explica o fato que quanto mais ela avança, mais choros são frequentes e sem motivos são despertados.

Picos de crescimento no desenvolvimento infantil

Esses picos se referem a forma diferente com que os bebês crescem fisicamente, não sendo de forma gradativa, já que há ciclos que duram, em média, de 3 a 5 dias, ou, de 7 a 10 dias, por exemplo.

E, nessa fase, fazem parte os choros e dificuldades para dormir, fazendo ainda com que o bebê sinta mais fome, aumentando as mamadas.

Qual a importância das primeiras experiências da infância?

Como já explicamos, a primeira experiência da infância seja positiva ou negativa, é de extrema importância para a criança. Ela afeta a formação cerebral, e, impactando diretamente o DNA dela.

E, apesar de algumas memórias não poderem ser resgatadas, elas impactam diretamente nos genes da criança e na forma como elas irão trilhar o seu caminho de vida.

Existem algumas formas de estimular que poderão ajudar a criança nesse processo, como, brincadeiras que proporcionem a evolução cognitiva da criança.

Sendo assim, cuide para que sua criança esteja em um ambiente seguro, protegido e confortável, e, faça com ela, brincadeiras saudáveis e que ajudem no seu desenvolvimento.

Atividades para desenvolver o bebê ou a criança em casa

Existem algumas atividades que podem ajudar o bebê ou a criança no seu desenvolvimento, vejamos:

  • Diálogos para a área cognitiva

Desde os 18 meses de vida, a criança já começa a prestar atenção nos diálogos em sua volta. Também ainda participa ativamente, por exemplo, com gestos e choros.

Sendo assim, diálogos para a área cognitiva da criança irão estimular para que ela esteja cada vez mais ativa. Além de estar  presente no ambiente, e, seu entendimento será também estimulado.

Uma brincadeira bastante conhecida e que ajuda a estimular a criança, é, o famoso jogo de Quebra-cabeça.

  • Caretas e imitações para a área socioafetiva

Existem também exercícios que ajudam a estimular o companheirismo e coleguismo, importantes para que a criança tenha um desenvolvimento infantil de maneira socioafetiva. Isso  permitirá que sua identidade seja formada através de experiências, e, interações.

E, algo que pode ajudar no fortalecimento dessas habilidades, são as caretas, que provocam emoções e reações sociais, propiciando o crescimento e autoconhecimento da criança.

Sendo assim, a criança estará desenvolvimento sua cadeia do cérebro, e, estimulando suas reações, para que ela saiba lidar com as novas situações que vierem, e, não precise ir atrás das respostas que são dadas pelos pais, aprendendo a se perceber no ambiente.

ACOMPANHE DE PERTO O APRENDIZADO DO SEU FILHO EM TEMPOS DE QUARENTENA SAIBA MAIS AQUI:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp