fbpx

Educação Pública no Brasil: Quais os desafios?

São muitos os problemas que estão presentes na educação, especialmente na educação pública no Brasil.

Em um estudo anual de 2017, feito pelo movimento “Todos pela Educação”, afirmou que, 760 mil crianças e adolescentes de 4 a 14 anos estão fora das escolas. E entre jovens de 15 a 17 anos, os índices são ainda maiores, atingindo o patamar de 1,7 milhão de jovens fora das escolas.

Nesse sentido, podemos observar a importância de entender a educação pública no Brasil, e como esses índices podem ser melhorados. É o que veremos adiante.

Qual a importância da educação para o país?

É consenso geral que a educação promove desenvolvimento, crescimento cultural, e o progresso de uma nação, mas, não é de hoje que a educação no Brasil está cheia de problemas, em especial a educação pública.

Muitos alunos têm dificuldade de chegar a uma escola, e, existem muitas escolas, com falta de estrutura e de profissionais.

Professores com salários baixos, e, sem condições de se aperfeiçoarem. E, até existem ações para tentar corrigir esses problemas, mas, os resultados são sempre lentos.

No início do ensino fundamental, ocorrem melhorias e algumas metas de aprendizado são atingidas, mas, à medida que o estudante avança na sua vida escolar, outros problemas surgem, e a evasão cresce nas escolas da educação pública.

Quais as diferenças entre ensino público e ensino privado?

A educação pública é a forma de ensino na qual o Estado é a instituição patrocinadora da escola ou universidade, que poderão pertencer ao governo municipal, estadual ou federal.

Já, a educação privada, é a forma de ensino não administrada por um governo, mas, por uma, ou mais pessoas donas daquela instituição, que serão também as responsáveis por cuidar de sua infraestrutura, assim como, de como a educação será transmitida para os alunos.

Nesse modelo de ensino, as escolas ou universidades poderão cobrar dos estudantes, uma mensalidade, a título de custear os seus estudos, o que já não ocorre na educação pública, em que os estudantes não precisarão pagar nenhuma mensalidade.

Dessa forma, podemos perceber a importância do papel do Estado na educação pública, que vão além do simples repasse de recursos financeiros, que, também são importantes, mas, também abarcam o repasse de um ensino de qualidade, e, um estudo de quem são esses alunos, e do interesse deles perante as aulas.

Quais os desafios enfrentados pela educação pública no Brasil?

A educação pública passa por muitos desafios, internos e externos, vejamos:

Os problemas externos, são os desafios socioeconômicos, ligados principalmente, a desigualdade de oportunidades de aprendizagem e de acesso ao ambiente escolar.

Já, os desafios internos, dizem respeito a estrutura interna do sistema educacional do ensino, as esferas, os programas, os agentes, e os repasses, que ocorrem entre eles.

É, preciso que o Estado cuide dos desafios tanto internos, quanto externos, não se abstendo apenas de tratar das finanças, já que, uma educação pública de qualidade não se restringe a um bom orçamento, mas, principalmente, a um ensino de qualidade que forme cidadãos.

Quais os motivos que levam os alunos a evadirem das escolas públicas?

O número de alunos que saem das escolas para não voltarem aumenta mais a cada dia, e, os motivos que os levam a isso, são:

• Baixa Renda Escolar dos alunos que usufruem da educação pública no Brasil: Infelizmente a baixa rendas dos alunos costuma ser fator preponderante para a evasão deles das salas de aula. Isso acontece porque, os gastos com transporte, ou mesmo, o fato da mãe precisar levar o filho até a escola, impede que ele continue seus estudos;

•. Pouca ou nenhuma escolarização dos responsáveis: Quando os pais desse aluno não possuem estudo, não entendem a importância de permitir que o filho continue estudando. Dessa forma se tornam desleixados quanto a isso;

• Domicilio localizado em áreas isoladas ou rurais: Quanto mais longe fisicamente o aluno estiver da escola, menos as chances de continuar frequentando as aulas;

• Trabalho Informal: Devido à baixa renda, na maioria das vezes, esses alunos precisam trabalhar de maneira informal para ajudar os pais, até mesmo crianças. E, entre a escola e o trabalho, optam pelo trabalho, que trará benefícios a curto prazo.

Discriminação por cor ou gênero: Infelizmente a discriminação por cor ou gênero ocorre com grande força também dentro das escolas, e, com o bullyng sofrido pelos alunos, a melhor escolha, é a evasão das salas de aula, para não continuar sofrendo discriminação.

Existe um outro fator interessante que precisamos mencionar.

Distorção idade / Série:

Essa distorção de idade e série, se dá com alunos com mais de 2 anos de atraso escolar. Por essa razão ficam com vergonha e escolhem não continuar frequentando a escola, do que estar em uma turma de pessoas mais novas.

E, além de tudo isso, os dados de analfabetismo no Brasil são medidos a cada trimestre pela Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios do IBGE. O IBGE investiga características socioeconômicas da sociedade.

Nos últimos índices, o questionário mostrou que o Brasil tem 11 milhões de analfabetos, relativo a 6,8% da população, que não sabe ler e nem escrever, o que assusta, mas não escandaliza, porque esses índices já foram bem maiores, e estão diminuindo ainda que bem lentamente.

 

Quais os problemas da educação pública no Brasil?

Os problemas da educação pública no Brasil podem ser entre outros:

  1. Falta de Investimento: Infelizmente, a cada ano que passa, o investimento na educação pública não atinge os índices desejáveis. Isso porque, são deslocados para outras áreas, já que seu retorno não é de imediato, fazendo com que os problemas se agravem ainda mais;
  2. Baixo Salário dos Professores: O Brasil está entre os país com os piores salários de professores do mundo. Isso acaba inviabilizando que esses profissionais prossigam na carreira que escolheram;
  3. Pais que não participam da educação dos filhos: Há também o problema da falta de atenção dos pais para com o estudo dos filhos. Visto que estão cada vez mais focados no trabalho e nos próprios interesses, e deixando de aluno essa área tão importante na vida de uma pessoa;
  4. Abandono escolar: Os índices de abandono escolar, como vimos anteriormente, crescem mais a cada dia, pela falta de interesse e condições, para que o aluno continue frequentando as aulas.
  5. Agressão por parte dos alunos: O Brasil lidera o ranking de violência nas escolas, elaborado pela Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico – OCDE que ouviu mais de 100 mil professores e diretores de escolas dos ensinos fundamental e médio.

É claro, que ainda existem muitos outros, mas, são nesses que se concentram as grandes estatísticas. Esses fatos contribuem para a ausência dos alunos nas escolas, e, com a qualidade de ensino que recai a cada ano.

Quais as causas que levam a os alunos a agredirem os professores e diretores?

Esses são índices tristes, mas, que são cada vez mais frequentes e vistos em reportagens jornalísticas.

E, algumas das causas para isso são as múltiplas situações de risco, e ausência de proteção para com esses alunos.

E além disso, problemas da educação pública e dificuldades de aprendizagem também contribuem para que os alunos fiquem mais agressivos. Isso acaba aumentando ainda, os índices de repetência, com aumento de faltas sem justificativas, e, o consequente recebimento de punições.

Quais medidas podem ser usadas para combater os maus índices da educação pública no Brasil?

As medidas que podem ser usadas para combater os índices ruins da educação pública, são:

  • Mobilização da sociedade para a importância que a Educação exerce: Dessa forma, todos estaremos juntos em prol de uma educação de qualidade.
  • Direcionamento de recursos financeiros para escolas e professores: Que deverá ser realocado para os setores corretos.
  • Valorização do profissional da educação pública no Brasil: Que está cada vez mais desvalorizado.
  • Organização de assembleias em salas de aula: Para que os conflitos possam ser trabalhados e envolver os estudantes na aplicação e elaboração das regras acadêmicas.

Além disso, existem mais dois outros campos que podemos citar.

Implementação de matérias na educação pública no Brasil:

Essas matérias irão ajudar a formar o aluno não somente para o ambiente escolar. Contribuem também para a vida, como, política, filosofia, sociologia, direitos humanos, que são itens básicos para a educação de um cidadão brasileiro pleno.

Implantação de medidas políticas educacionais a longo prazo.

É importante citar que, o comportamento do aluno dentro do ambiente escolar, não impede que ele não o reproduza em outros ambientes. Sendo assim, se faz necessário uma educação que não se resuma as disciplinas repassadas, mas, que forme o aluno para ser um cidadão brasileiro.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp